domingo, 24 de janeiro de 2010

Carta enviada ao Ex.mo Senhor Presidente da CCAM da Zona do Pinhal

Exmo. Senhor Presidente da Direcção da CCAM da Zona do Pinhal
Dr. Ângelo Antunes
Praça da República, 31
6100 – 740 Sertã
Carta Registada
Envendos, 18 de Janeiro de 2010

Assunto – Reposição de ATM no edifício da sede da Junta de Freguesia de Envendos

Exmo. Senhor Presidente,

Acuso a recepção do e-mail de que me deu conhecimento no passado dia 8 de Janeiro de 2010, o qual muito agradeço.
Assim e na sequência do referido e-mail, venho por este meio solicitar-lhe informação sobre o ponto de situação referente à reposição do ATM na freguesia de Envendos. De facto e na qualidade de Presidente da Junta de Freguesia de Envendos, gostaria de ser esclarecido sobre a data em que a máquina irá ser instalada, as condições de instalação da mesma e sobre a questão do reforço de segurança.
Cabe-me também transmitir-lhe nessa mesma qualidade de Presidente da Junta que a falta do referido equipamento tem causado inúmeros transtornos a toda a população da freguesia de Envendos que desde a madrugada de dia 7 de Dezembro de 2009 se encontra impossibilitada de realizar quaisquer operações bancárias através daquela máquina de ATM. Por outro lado, os referidos transtornos ocorrem também com visitantes que se deslocam à Freguesia ou que atravessam a Freguesia e que se mostram surpreendidos com a inexistência de uma máquina ATM na mesma. De facto e como V.Ex.a sabe, as máquinas de ATM mais próximas estão apenas localizadas na vila de Mação, o que tem obrigado os habitantes da Freguesia e outros, a percorrem grandes distâncias para puderem realizar qualquer operação bancária, por mais simples que seja.
Por outro lado e como V.Ex.a tem também com certeza conhecimento, a máquina em questão era muito utilizada, tinha um movimento diário de levantamentos muito elevado e era utilizada para inúmeras operações bancárias. Esta máquina servia especialmente as localidades de Envendos, Carvoeiro e arredores.
Os Envendenses têm-me dado conhecimento dos transtornos e dificuldades que a ausência do equipamento de ATM tem causado, questionando-me diariamente sobre a data em que irá ocorrer a reposição do equipamento, equipamento esse que tanta falta lhes faz, dizem os Envendenses nas suas próprias palavras.
Deste modo, é com expectativa e legítima esperança que aguardo a reposição do equipamento ATM e que lhe solicito que esta questão não seja esquecida. Não obstante, reforço que até ao momento nenhuma resposta tenho para dar às preocupações dos Envendenses, porquanto aguardo ainda uma comunicação da CCAM referente ao assunto em questão.
Assim, muito agradeço que o Sr. Presidente da Direcção da CCAM da Zona do Pinhal me informe do ponto de situação referente ao assunto em epígrafe, ficando a aguardar a sua resposta.
Apresentando desde já a minha disponibilidade para o que entenderem por necessário, subscrevo-me com os melhores cumprimentos,


(Presidente da Junta de Freguesia de Envendos)

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

População de Envendos continua à espera de caixa multibanco

Os habitantes de Envendos, freguesia a norte de Mação, continuam a ter que se deslocar à sede de concelho para conseguir levantar dinheiro ou pagar as contas através da opção multibanco. Ida e volta são quase 30 quilómetros. A máquina ATM, que se encontrava no exterior da sede da junta de freguesia, foi roubada no dia 7 de Dezembro e não foi reposta entretanto. O presidente da Junta de Freguesia de Envendos, João Luís Pereira (PS), mostra-se indignado com o atraso e, após alguns telefonemas, já enviou uma carta à Caixa de Crédito Agrícola Mútuo (CCAM) Zona do Pinhal Interior, Sertã – entidade que explorava o equipamento - reforçando a urgência da substituição.

“Pelo que entendi vão-nos (CCAM) propor um protocolo, que não existia com o antigo executivo da junta, mas acho que já contribuímos bastante ao dar a electricidade e as instalações físicas. Afinal, eu não sou o investidor…”, refere o autarca a O MIRANTE agastado com a demora da reposição da máquina, que lhe foi justificada por ainda se estarem a fazer contas com o seguro do equipamento.

“Pelo que sei nem sequer o orçamento foi feito”, sublinhou, descontente apontando que lhe indicaram o mês de Março como a altura em que iriam resolver a questão. Na freguesia de Envendos, moram cerca de mil habitantes, para além e ser um local de passagem, por muitos automobilistas que saem do nó da A23 em direcção a Proença-a-Nova.

O MIRANTE tentou, por várias vezes, obter mais esclarecimentos junto da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo, através da sua sede em Lisboa, mas todos os pedidos ficaram sem resposta.

in "O Mirante"

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

A MONTARIA VEIO Á VILA E MOSTROU-NOS COISAS NOVAS

1ª MONTARIA AOS JAVALIS EM PARCERIA COM O CLUBE DE CAÇA DE MACEIRA

A expectativa criada em volta desta 1ª montaria em parceria com um clube de caça era bastante grande, deixando-nos apreensivos quanto ao decorrer da mesma tanto ao nível da recepção aos convivas, bem como no decorrer da montaria em si e se o resultado final não iria defraudar as expectativas criadas nos últimos dias em torno de tudo isto.
O dia, esse, apresentou-se de forma magnífica, com muito frio mas um sol radioso como já não se via há uns dias, estava propicio para montear, logo que a montaria não se arrastasse por longas horas, porque com o gelo que se fazia sentir iria tornar-se desagradável a estada prolongada nas portas.
Chegados enfim os convivas num bonito autocarro de luxo, sim senhor de luxo, até parecia a selecção nacional de monteiros para a final mundial de montarias, também se não o foi mais parecia tal foi a qualidade da montaria que se veio a apresentar.
Feitas as inscrições e o respectivo sorteio, não sem antes se ter degustado um pequeno-almoço que estava bom com tudo o que é de esperar nestas lides das montarias, partiu-se para a mancha que a manhã já ia adiantada.
A distribuição das portas foi algo demorada pois não havia muitos carros todo-o-terreno e como as pessoas eram ainda bastantes, demorou-se mais do que era esperado, mas enfim um problema de logística que da próxima vez estará decerto resolvido.
Chegados às portas deu-se início á montaria propriamente dita com a solta das matilhas, são elas que dão o verdadeiro sentido a tudo isto pois são os cães que fazem mexer as reses dos seus encames e levá-los até às portas para aí os monteiros os tentarem abater. Digo tentar abater pois desde o princípio da montaria que se ouviram tiros e ladras de cães e a julgar pela quantidade de tiros dados, que foram cerca de 86, adivinhava-se um bom resultado final, não foi mau mas podia ter sido melhor dado que as porcas grandes e os dois navalheiros conseguiram fugir e escapar da mancha. Na minha armada não se deu nenhum tiro tendo somente o meu parceiro da porta 11 avistado um bom porco que decerto conseguiu escapar sem ser atirado, enfim há dias destes é o sorteio que dita quem mata e quem atira, com um pouco de sorte á mistura, são coisas da caça.
Com o terminar da montaria, ao fim de quase três horas de monte, foi no timing correcto, que decorreu de forma muito animada, começaram a chegar vindos das portas os monteiros para a reunião em direcção ao pavilhão gimnodesportivo de Envendos para o almoço, via-se que as pessoas vinham satisfeitas,umas por terem feito o gosto ao dedo outras porque viram porcos e os cães a trabalhar bem, era bom ver como todos reagiam á chegada dos carros onde vinham os porcos abatidos, era as pessoas a verem a comentarem, enfim no fundo as montarias são isto mesmo e o final com um quadro de caça onde se apresentaram 11 javalis não é nada mau para as aspirações da nossa reserva que se quer fundamentalmente para perdizes.
O almoço foi servido sem muitas demoras e o rancho estava muito bom, graças á boa mão do amigo César que foi bem auxiliado pelo amigo Carlos Contino, muito obrigado a eles pelo excelente trabalho.
O dia terminou de forma bastante animada com toda a gente contente, os nossos amigos levaram com eles cinco javalis para fazerem os seus convívios, ficaram também convidados a virem á nossa montaria dia 31 de Janeiro e penso que se gostaram alguns irão voltar, pela amizade, pela camaradagem e pela vivência de tudo isto que se desenrola em volta destes encontros.
Quero agradecer em nome da Associação de Caçadores do Concelho de Mação todo o auxílio dado pelo Exmo. Sr. Presidente da Junta de Freguesia de Envendos pela excelente colaboração e ofertas da região, á Câmara Municipal de Mação pelas lembranças com produtos da região dadas aos caçadores, aos caçadores de Maceira na pessoa do seu Presidente Sr. José Carlos, ao Sr. Presidente da nossa Associação que geriu tudo isto de forma sublime Sr. Jorge Matos, ao Sr. Vice-Presidente Sr. Vítor Gonçalves pelo enorme trabalho que teve para por tudo isto a funcionar, por tudo o que contribuiu para angariar alguns fundos para a Associação, aos matilheiros, principalmente o Sr. Hugo Gonçalves que foi o principal mentor, ao Sr. Sousa, Sr. Manuel António, Sr. Zé Xisto, Sr. Bernardino Toco, Sr. Paulo Machado, Sr. António Matos, pelo trabalho que tiveram a marcar as portas, aos postores e condutores de matilhas, e a todos os outros que de uma forma ou outra deram o seu contributo para que tudo corresse da melhor forma e assim darmos uma boa imagem da nossa Associação e do que somos capazes de fazer quando há união entre todos, é isto o espírito de associativismo, de quem me esqueci as minhas desculpas e obrigado a todos por tudo, até 31 de Janeiro, não faltes.