sábado, 10 de Abril de 2010

TERMAS DA LADEIRA

Águas dos deuses para o comum dos mortais
Por questões de saúde ou até mesmo por lazer. Motivos à parte, as termas estão à sua espera
“Ir a banhos” ou “ir a águas”. Na Roma imperial as termas eram um hábito quotidiano, uma prática essencialmente lúdica. Na Idade Média a sua utilização passava pelo carácter curativo, social e sanitário. Já no século XX, as termas passaram a ser o destino de eleição da aristocracia. E de destino turístico dos ricos a um local de terapias. Os tempos mudam, as vontades também. Contudo, há termas que permanecem eternas.
Paragem: distrito de Avei-ro. De 1726 directamente para 2010. Distâncias temporais à parte, as velhas Termas do Luso são hoje a Malo Clinic Spa Luso. Três milhões de euros depois, o espaço de luxo é um convite aos tratamentos. Rituais do corpo, massagens, tratamentos da face – muito na base da dermocosméstica –, dentro em breve também um SPA Termal e um centro de reabilitação física e cardíaca, o Medical Center.
A 250 metros de altitude, contígua ao sopé da Serra do Caramulo, eis as Termas de Vale da Mó. Longe do burburinho e da agitação, o espaço é ideal para a cura de estados de depressão nervosa e fadiga.
Do sossego da serra, para as Termas da Curia SPA Resort, em Anadia. Hotel, Golf & Spa, Spa Termal e Termas Saúde. Um parque de 14 hectares de vasto arvoredo, onde não faltam as espécies raras e um dos maiores lagos artificiais da Europa.
Paragem: distrito de Castelo Branco. Águas termais hipossalinas duma aldeia localizada no sopé da serra de Penha Garcia. As Termas de Monfortinho, a funcionar desde 1940 – em 2001 foram remodeladas – continuam a dar provas das suas virtudes terapêuticas.
Beira Baixa, entre Abrantes e Castelo Branco. No concelho de Mação, as Termas da Ladeira de Envendos continuam a convidar para o descanso do corpo e da mente.
Paragem: distrito de Leiria. Nas Termas de Monte Real as terapias para o tratamento dos aparelhos digestivo, músculo-esquelético e respiratório não deixam ninguém indiferente. O novo Balneário Termal de Monte Real foi totalmente remodelado, oferecendo novos serviços. O Hospital Termal Rainha D. Leonor, no concelho de Caldas da Rainha, continua de portas abertas. Séculos depois.
No distrito da Guarda destacam-se as Caldas de Manteigas, as Termas de Longroiva e de Almeida.
Última paragem: distrito de Viseu. São seis as termas que pode encontrar neste distrito. As Termas Sulfurosas de Alcafache SA é um dos locais para mimar o corpo. Já as Termas do Carvalhal não ficam atrás. Situadas no concelho de Castro Daire, a cerca de 500 metros de altitude, oferecem desde o termalismo clássico a programas de bem-estar.
Caldas da Cavaca. Ficaram conhecidas pelo tratamento de doenças de pele, musculo--esqueléticas e dos aparelhos respiratório e digestivo. Hoje, e por iniciativa da autarquia local, foram requalificadas. O balneário termal e o sector especializado no tratamento das vias respiratórias e outro destinado à hidrobalneoterapia são já duas referências.
A cerca de 30 quilómetros de Viseu, entre Canas de Senhorim e Nelas, seguem--se as Termas Caldas da Figueira. Ainda mais perto de Viseu, erguem-se as Termas Caldas de Sangemil, conhecidas pelos bons resultados no tratamento e prevenção de doenças das vias respiratórias. No distrito há ainda o Centro Termal de São Pedro do Sul, reconhecido pelas suas águas. Pode aproveitar para ver os vestígios que restam do balneum romano.
Agora que conhece as termas, pode começar a pensar nos tratamentos
Fonte: Diário a Beira

Sem comentários:

Enviar um comentário